Durante muito tempo, as campanhas de conscientização para o câncer de mama divulgaram a ideia de que o autoexame das mamas, baseado na palpação, era a melhor forma para detectá-lo precocemente. Mas o tempo passou, a medicina evoluiu e as recomendações mudaram.

O autoexame continua sendo importante – mas de forma secundária. Quando o tumor atinge o tamanho suficiente para ser palpado, já não está mais no estágio inicial, e as chances de cura não são máximas.

Infelizmente, ainda há muita desinformação no Brasil. Uma pesquisa realizada em 2008 pelo Datafolha a pedido da Femama revelou que para 82% das mulheres o autoexame é a principal forma de diagnóstico precoce. Apenas 35% apontaram a mamografia.

A incidência do câncer de mama vem crescendo no mundo todo, mas, quando se trata do número de mortes causadas pela doença, as tendências variam. Em países desenvolvidos, a mortalidade vem caindo lentamente, ao passo que nos países em desenvolvimento, como o Brasil, registra-se um gradativo aumento.

Pelo menos parte dessa diferença se deve ao diagnóstico precoce, ainda precário no nosso país. Entre 1999 e 2003, quase metade dos casos de câncer de mama foram diagnosticados em estágios avançados, segundo estudo do Instituto Nacional de Câncer (Inca). Especialistas estimam que mortalidade por câncer de mama em mulheres entre 50 e 69 anos poderia ser reduzida em um terço se todas as brasileiras fossem submetidas à mamografia uma vez por ano.

Fontes
1. National Comprehensive Cancer Network (NCCN) Guidelines for Patients: Breast Cancer. Versão 1.2014. Consultado em 06 de outubro de 2014. Disponível em www.nccn.org.patients

2. Lei número 11.664, de 29 de abril de 2008. Consultada em 07 de outubro de 2014. Disponível em http://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/93804/lei-11664-08

3. Outubro Rosa: Acesso à mamografia e ao tratamento é restrito no Brasil. Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem. Consultado em 06 de outubro de 2014. Disponível em http://cbr.org.br/outubro-rosa-acesso-a-mamografia-e-ao-tratamento-e-restrito-no-brasil/

4. National Comprehensive Cancer Network (NCCN) Clinical Practice Guidelines for Breast Cancer Screening and Diagnostic. Versão 1.2014. Consultado em 06 de outubro de 2014. Disponível em www.nccn.org

5. Outubro Rosa: MPE também participa da campanha mundial. Publicado por Ministério Público do Estado de Alagoas (extraído pelo JusBrasil). Consultado em 07 de outubro de 2014. Disponível em http://mp-al.jusbrasil.com.br/noticias/2875055/outubro-rosa-mpe-tambem-participa-da-campanha-mundial

6. Dicas do Dia. www.uol.com.br. Consultado em 07 de outubro de 2014. Disponível em http://www2.uol.com.br/vyaestelar/mamografia.htm

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Close